Áreas de Intervenção
Território

As alterações climáticas a médio longo prazo implicam inevitavelmente alterações no território e na vida da população.

01

Introdução

A necessidade de tornar os territórios mais resilientes constitui uma oportunidade para a mudança, favorecendo a resolução de questões relacionadas com a classificação e qualificação dos solos, gestão do risco de cheias, reflexão sobre a estrutura e funcionalidade ecológica, saúde humana, turismo sustentável, mobilidade, eficiência energética, uso da água, entre outros aspetos.

02

ações / iniciativas

O município tem vindo a desenvolver algumas iniciativas no sentido de incorporar medidas de adaptação e mitigação às alterações climáticas nas suas políticas e nas suas ações concretas no território.

Têm sido diversas as ações executadas pela autarquia de Loulé com o intuito de requalificar espaços públicos, dando-lhes uma imagem renovada, mas principalmente uma nova funcionalidade.

Mercado Municipal de Loulé

Castelo de Loulé

Alte

Marina de Vilamoura

Passeio das Dunas - Praia de Vilamoura

Parque Natural da Ria Formosa (Quinta do Lago)

Parque Municipal de Loulé

Passeio das Dunas

Querença

Cidade de Loulé

Intervenções e medidas

  • A Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas que contribuiu para ampliar o conhecimento da problemática, com a finalidade de estabelecer medidas e orientações que contribuirão para a incorporação de critérios de adaptação às alterações climáticas nos Instrumentos de Gestão Territorial.
  • A Revisão do Regulamento Municipal de Edificação e Urbanização (RMUE) – em curso, onde foi integrado um conjunto de orientações (Anexo 11) que visam incorporar os critérios de adaptação às alterações climáticas com efeitos nas urbanizações e edificações em geral.
  • A requalificação urbanística da zona costeira poente de Quarteira-Vilamoura, mais conhecida por “Passeio das Dunas”, consiste num passeio marginal que liga Quarteira a Vilamoura, com implantação de novos espaços verdes, zonas de lazer, privilegiando a circulação pedonal e de ciclistas bem como a eficiência energética na iluminação. É ainda de destacar a recuperação da estrutura dunar, a requalificação da Vala Real e da sua envolvente, valorizando-se o contacto com o mar.
  • Avaliando os PMOT em vigor, considera-se já se encontrarem salvaguardadas inúmeras vulnerabilidades territoriais (estes já conjugam estratégias de mitigação e de adaptação às alterações climáticas).Esta valência do ordenamento do território advém também do resultado dos procedimentos de Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) a que os planos territoriais de âmbito municipal estão em já regra sujeitos.
  • O Plano de Urbanização de Quarteira Norte-Nordeste (PUQN_NE) com uma área aproximada de 76 ha, tem como um dos objetivos principais a promoção do espaço público, sendo de evidenciar a proposta de um parque urbano localizado na zona mais sensível sobre o ponto de vista ecológico com o intuito de salvaguardar e valorizar o corredor ecológico do ecossistema húmido existente.
    O carácter dominante do Parque Urbano proposto é o de espaço propício à salvaguarda, valorização e regeneração da flora, da fauna e dos ecossistemas autóctones, infraestruturado apenas na medida do necessário para garantir a sua fruição plena e segura como espaço de recreio e lazer por parte da população.
  • A Via Distribuidora de Quarteira, inaugurada como “Avenida Papa Francisco” – por este ser um disseminador da necessidade de proteção da “casa comum”, insere-se na área do referido plano de urbanização. Constitui um acesso estruturante na cidade de Quarteira, na medida em que concretiza uma alternativa de ligação rodoviária entre as Avenidas de Ceuta e Dr. Francisco Sá Carneiro. Esta nova infraestrutura viária permite articular diretamente a EN 396 com a EM 527-2 evitando assim que o tráfego que aí circula tenha que atravessar o centro urbano da Cidade de Quarteira. Esta avenida reúne condições para melhorar a perceção e vivência da Cidade de Quarteira.

03

Como
contribuir

1

Procure saber mais sobre alterações climáticas, sustentabilidade e resiliência, essa atitude representará uma oportunidade para melhorar os processos de planeamento e gestão do território.

2

Promova iniciativas de adaptação e mitigação às alterações climáticas em sua casa, no seu bairro, na sua freguesia, no seu município...

3

Esteja atento a todos os projetos territoriais que envolvam a participação pública e Participe!

4

Plante uma árvore! Cinco árvores absorvem cerca de uma tonelada de CO2 ao longo da sua vida.

CONHEÇA AS OUTRAS
ÁREAS DE INTERVENÇÃO