Recursos

Documentos e publicações

  • 1. Brochura “Alterações Climáticas em Loulé: Desenvolvimento de uma Estratégia Municipal de Adaptação”

  • 2. Estratégia Municipal de Adaptação às Alterações Climáticas de Loulé

  • 3. Revista Smart Cities — Artigo: A mobilidade sustentável como resposta ao desafio do clima

  • 4. Adaptação — Um resumo temático para empresas

  • 5. Alterações Climáticas — Saúde Humana

  • 6. AJAP — Alterações Climáticas e Agricultura

  • 7. APEA — Energias e Alterações Climáticas

  • 8. CE — Alterações Climáticas: de que se trata?

  • 10. BD — Reportagem Especial: Adaptação às alterações climáticas em Portugal

  • 11. ADENE — Guia da Eficiência Energética

  • 12. ECOSAFE: Guia para utilização eficiente de electrodomésticos

  • 13. EDP — Guia da Eficiência Energética

  • 14. LC Sustentável — Newsletter 12

  • 15. CML — Frio Intenso: Aprenda como proteger-se

  • 16. CML — Incêndios Florestais: A prevenção depende de todos

  • 17. CML — Linhas de Água: Medidas preventivas

  • 18. CML — Frio Intenso: Aprenda como proteger-se

  • 19. CML — Temporais: Aprenda como proteger-se

  • 20. Agenda Urbana para a EU – Pacto de Amesterdão

FAQ’s

  • As Estratégias Municipais de Adaptação às Alterações Climáticas (EMAAC), como é o caso da EMAAC de Loulé, pretendem aumentar o conhecimento sobre alterações climáticas, dotando os municípios de maior capacidade adaptativa, por forma a promoverem no território local/municipal uma resposta coerente às múltiplas problemáticas relacionadas com as alterações climáticas.

  • Eventos extremos são fenómenos decorrentes de situações meteorológicas anómalas, dos quais ondas de calor, precipitação excessiva, secas, cheias, ventos fortes, etc. Este fenómenos provocam impactos que constituem um perigo efetivo para a população e bens, para além de provocarem prejuízos económicos, sociais e ambientais muito graves.

    A adaptação é fundamental, cada cidadão deve considerar individualmente uma série de ações para a sua proteção e segurança.

  • Qualquer mudança no clima ao longo do tempo, devida à variabilidade natural ou como resultado de atividades humanas.

  • Definido como a probabilidade de ocorrência de consequências ou perdas danosas (morte, ferimentos, bens, meios de produção, interrupções nas atividades económicas ou impactos ambientais), que resultam da interação entre o clima, os perigos induzidos pelo homem e as condições de vulnerabilidade dos sistemas (adaptado de ISO 31010,2009, UNISDR,2011).

  • A capacidade de sistemas sociais, económicos ou ambientais em para lidar com perturbações, eventos ou tendências nocivas, respondendo ou reorganizando-se de forma a preservar as suas funções essenciais, a sua estrutura e a sua identidade, enquanto também mantêm a sua capacidade de adaptação, aprendizagem e transformação (IPCC, 2014a).

  • A capacidade que um sistema, instituição, Homem ou outros organismos têm para se ajustar aos diferentes impactos potenciais, tirando partido das oportunidades ou respondendo às consequências que daí resultam (IPCC, 2014).

  • Adaptação é um processo de ajustamento do sistema natural e/ou humano para resposta aos efeitos do clima atual ou expectável.

    Nos sistemas humanos a adaptação procura moderar ou evitar prejuízos, bem como explorar benefícios e oportunidades. Em alguns sistemas naturais, a intervenção humana poderá facilitar os ajustamentos ao clima expectável e seus efeitos (IPCC,2014b).

  • Onda de Calor – Proteja-se!

    Previna-se através das seguintes ações:

    • De noite abra as janelas para que a casa arrefeça;
    • Se tiver o corpo muito quente tome um duche de água tépida, nunca de água fria;
    • Fique pelo menos 2 a 3 horas por dia num ambiente fresco; 
    • Esteja atento às pessoas isoladas, idosas, frágeis ou com dependência, ajude-as a protegerem-se do calor;
    • Evite a exposição direta ao sol especialmente entre as 11 e as 17 horas. Vá à praia só nas primeiras horas da manhã ou ao fim do dia; 
    • Beba regularmente água ou sumos naturais, mesmo sem sede;
    • Incentive os idosos a beberem mais 1 litro de água por dia do que é habitual;
    • Use roupas leves de algodão e de cor clara;
    • NUNCA deixe crianças, doentes ou pessoas idosas dentro de veículos expostos ao sol.
  • Temperaturas Elevadas

    Contribua da seguinte forma:

    • Limpe o mato/pasto numa faixa de pelo menos 50m à volta da sua casa;
    • Mantenha os seus terrenos limpos de mato e de resíduos de exploração (podas, ramos secos);
    • Fale com os seus vizinhos para que mantenham também as suas propriedades limpas;
    • Mantenha os caminhos da sua propriedade em condições de circulação;
    • Guarde, em lugar seguro e isolado, a lenha, o gasóleo e outros produtos inflamáveis;
    • Afaste dos materiais combustíveis (madeira, papel, roupa, etc.;) as fontes de ignição (velas, candeeiros a petróleo ou a gás);
    • Coloque nas máquinas agrícolas e florestais extintores de 6 kg, dispositivos de retenção de faúlhas e tapa-chamas nos tubos de escape/chaminés;
    • Durante o período crítico e fora dele, sempre que se verifique o índice de risco de incêndio muito elevado ao máximo, é proibido fazer queimadas ou fogueiras;
    • Fora do período crítico não faça fogueiras em dias de muito vento, procure fazê-las em dias húmidos e a uma distância considerável dos limites da floresta. NUNCA abandone as queimas e fogueiras acesas e sem vigilância;
    • Não faça fumigação ou desinfestação em apiários com fumigadores que não estejam equipados com dispositivos de retenção de faúlhas;
    • Retire as folhas, caruma e ramos dos telhados;
    • Corte as árvores que ofereçam risco para a habitação;
    • Separe as suas culturas com barreiras corta-fogo, como por exemplo um caminho, assim evita que as chamas passem de uma parcela para a outra;
    • Tenha em local de fácil acesso algumas ferramentas como enxadas, pás e mangueiras, para ajudar no primeiro combate ao fogo;
    • Não lance foguetes, fogo-de-artifício ou balões com mecha acesa no período crítico.
    • Se estiver próximo de um incêndio:
    • Ligue de imediato para o 112 ou para os bombeiros da área 
    • (Bombeiros Municipais de Loulé: 289 400 560).
  • Seca

    O que fazer durante uma seca:

    • Não encha tanques ou piscinas, pode estar a gastar água necessária a outras pessoas;
    • Feche ligeiramente as torneiras de segurança de modo a diminuir o caudal de água;
    • Em caso de cortes de fornecimento de água armazene só a quantidade que vai necessitar. Se lhe sobrar água não a deite fora, reutilize-a;
    • Durante uma seca a qualidade da água pode deteriorar-se. Em caso de dúvida ferva-a durante 10 minutos antes de a beber.
  • Cheias/Inundações

    É muito importante que:

    • Conheça os sinais de aviso de cheias / inundações e de evacuação;
    • Disponha de um seguro de recheio;
    • Mantenha-se calmo e transmita serenidade aos outros;
    • Desligue a corrente elétrica e corte a água e o gás;
    • Prepare-se para uma eventual necessidade de evacuação que só será ordenada em caso de absoluta necessidade. Obedecer sem demora;
    • Não visite os locais atingidos.